sábado, 10 de maio de 2008

Política de rally

Um destes dias assisti no principal canal de televisão daqui, TPA, a uma nota de reportagem apresentada por um mulato de voz grossa, carapinha a entrar pelas patilhas e tentando imitar a histrionia do Artur Agostinho, sobre a atribuição de viaturas e subsídios pelo governo provincial de Luanda a diversos sobas. Estes líderes tribais habilitavam-se aos pópós no decurso do patriótico dever de instruirem as suas populações, muitas delas remotas, sobre os benefícios do recenseamento para as eleições legislativas de Setembro próximo. Não pude deixar de imaginar o nosso Sócrates a oferecer jipes a todos os presidentes de junta em 2009. No ecran angolano, era evidente a dificuldade dos anciãos em se equilibrarem ao mesmo tempo que miravam interrogativos os espadas dispostos à sua frente e se amparavam numa espécie de cajados que o speaker de serviço apresentava como símbolos do exercício do histórico poder tribal. Aqui, como certamente em muitos outros lados, a luta partidária parece já não se contentar em confinar-se à ideologia das camisolas, bandeiras, bonés, sacos, canetas, isqueiros, pins e todos os packs doutrinários que se habituou a distribuir em comícios e bebícios. Interroguei-me se o velho Marx não seria capaz de alterar uma sua frase batida, actualizando que também a política é o ópio do povo. E que só mesmo os seus inebriantes meandros seriam assim capazes de transformar velhos sobas em pilotos de rally.

5 comentários:

yes! my love! disse...

Para se poder " emitar " :( um grande cronista da actualidade, não se pode dar erros de palmatória - em Luanda, esta também se usava quando eu aprendi a escrever em Português;

ou antes,

para o poder fazer - os erros -

VExa tem que ser mais do que um " Roberto Ivens " no Sec. XXI :)

porque a política de "libertalização" ;) da ohortografia implícita nesta política de sucessivos acordos ohortográficos, ainda assim, não justifica tudo ;)

Roberto Ivens disse...

Y!mL!,

Já troquei o anterior «emitar» pelo óbvio «imitar», no que terá sido um erro mais de revisão do que «de palmatória»...

yes! my love! disse...

Podia ter corrigido o lapso sem publicar o meu comment até porque era só mesmo isso que eu queria ~~

Não tenho nem quero ter um Blogue, mas se tivesse, agradecia que me alertassem para este tipo de distra(c)ção - de que ninguém está livre ~~

Espero que não tenha levado a mal ~~

fé disse...

Cheguei mesmo a tempo 3000 visitas.

Júlia Moura Lopes disse...

engraçado. gosto de blogues com erros de digitação, são mais naturais e bloggar é isso, é ser-se natural e não corrigir as gaffes :-)