sábado, 19 de janeiro de 2008

Finalmente compreendo Mark Twain

Há cerca de um mês e meio atrás, fui convocado pelo meu chefe para uma visita ao Huambo, cedendo a um convite de um cliente. Partiríamos no dia seguinte, sábado de manhã, do aeroporto 4 de Fevereiro, em Luanda e no avião do nosso anfitrião, um dos mais importantes empresários de Angola. Por razões que não interessarão aqui, essa viagem não se fez. Acabo de ler esta notícia da Lusa e não posso deixar de me lembrar da reacção de Mark Twain quando lhe relataram que se havia finado: «As notícias sobre a minha morte são francamente exageradas.»

6 comentários:

Laura disse...

Voltando hoje ao "Murcon", reparei que "convocou" um comentário meu, que fiz a propósito de um possível cenário editorial onde se confrontariam as escritas de J.M.V. e A.L.A.
Para que não interprete mal esse meu exercício - confundindo o tom, por efeito de "mimetismo", com muitos dos comentários que ali são feitos-, quero só esclarecer que a intenção foi mesmo meramente reflexiva.
Aprecio imenso JMV - nem sempre concordando com tudo, como é natural -, mas não alinho em adulações.
De resto, nunca perceberei a quem aproveitam as laudas, em ambiente virtual...
Fica só o esclarecimento! :):)

Roberto Ivens disse...

Laura,

Agradeço o seu comentário, mesmo se deslocado do respectivo palco. Julgo, no entanto, ter interpretado bem o seu exercício...

Laura disse...

2º e último esclarecimento
e de novo fora do (putativo) palco:

- A minha nota devia-se ao facto de vc. ter dito no mesmo comentário que não gostava de bajulações.
Dado que (neste caso preciso) essa referência não é exactamente irrelevante, resolvi, na dúvida, sublinhar esse meu "estado de espírito"

- Concordo que o local certo para estes "preciosismos" seria o Murcon. E obviamente o mais curial.
Mas como só lá vou de quando em vez, o seu comentário já tinha saído de agenda, pelo que o meu sofreria do meu do mesmo efeito.
Por outro lado, resisto hoje em dia em comentar algo mais do que os próprios posts. Tenho uns anos daquilo e prefiro focar-me em JMV, senão o gosto pode sair mais caro que o benefício.
Isso não impede contudo que vá lendo os comentários, porque ainda vai havendo muitos que estão na onda certa: - cada um diz de sua justiça sem ser... justicialista.:):)
E eis como um aparente "esconso" é afinal um "open space" (e vice versa:):)

Roberto Ivens disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roberto Ivens disse...

Laura,

Descontando o sentido desta sua insistência, recordo-lhe que, em bom rigor, não utilizei o termo «bajulação». Antes, socorri-me de um sinónimo para justificar um eventual outro sentido do meu próprio comentário...

Open space? I agree with that!

Menina_marota disse...

Sorrio... e lembro-me de uma frase, precisamente de um padre em Luanda, referindo-se a um acidente, em que por mero acaso, não morreu:
" a morte enganou-se e bateu na porta ao lado ".

Tinha 15 anos na altura, mas nunca mais me esqueci.

Um abraço ;)