domingo, 25 de novembro de 2007

Romanos fumados

Há por aqui, para o bem e para o mal, muitos exemplos do «em Roma sê romano». Desde logo, os fumadores, que por estes lados podem à vontade conspurcar de fumo quartos, salas, salões e halls de hotéis. E, claro está, não há cidadão de país dito mais evoluído que se faça rogado ao prazer de invadir os pulmões alheios. Será um velho dilema de consciência: lá não posso, mas por aqui não é proibido, logo... E tem sido notório que alguns tendem a considerar resolver o dilema exactamente quando tentam alojar novo cigarro num dos cantos da boca.

2 comentários:

Eric Blair disse...

Por aqui a coisa estava indefinida e bem; um gajo podia sempre fazer sentir-se mal a chaminé do lado. Agora a coisa vai ser pior: não vai haver tasco com ou sem permissão de fumar; o que vai haver é tascos sem permissão de fumar e tascos DE fumadores, se é que me faço entander.

ps.(r) estão ali na prateleira em frente, a olhar para mim, os dois volumes em que tu e o Capelo contam a epopeia que vos levou daí à contracosta.

JuliaML disse...

O seu blogue apesar de bébé já se adivinha um blogue promissor.

Gostei de o ler e vou linkar, para divulgar.

ps- podia tirar essa verificação depalavras, que é uma seca e não serve para nada,p.f.? Basta moderar os comentários , a meu ver...