domingo, 2 de dezembro de 2007

Violência gratuita

Ontem de manhã, enquanto regressava do supermercado, assisti a uma cena triste. Um homem que havia sido transportado num dos taxis locais e que ter-se-à recusado a pagar os 400 kwanzas da corrida, foi sovado em plena faixa de rodagem pelo condutor e pelo pica. O passageiro, jovem nos seus trinta anos, bem mais encorpado do que os antagonistas mas completamente bêbado, acabaria por ser deitado ao chão para ser socado e pontapeado pelos outros dois, numa tão desproporcionada quão gratuita manifestação de violência. Em redor da cena, entre passageiros e transeuntes, ninguém ensaiou qualquer protesto. Duplamente à distância, entre o nojo e o desconforto de me encontrar na assistência, dei por mim a interrogar-me sobre o carácter universal da noção de cidadania. Entretanto, o homem acabaria por conseguir levantar-se entre dois pontapés e os outros dois deram por bem cobrada a dívida e arrancaram no taxi. Felizmente, também, para mim, que pude abandonar o local e deixar adiada para uma outra ocasião a resposta à minha própria interrogação.

5 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Não faço a mínima ideia por quanto tempo vai durar essa tua aventura por terras angolanas, findo o qual este blogue perderá o sentido.
Achei-o interessante e acabei por o ler desde o início.
Não conheço Angola, mas o retrato, para além de me parecer bastante fiel, é interessante de seguir.

Obrigado pela tua visita. Volta sempre.

Abraço.

Anónimo disse...

Que MERDA foi esta de ires ao Iluminado deixar um Link no Comentário?

Tás a gozar comigo? Sabes que o Blogue é famoso e que foi "abandonado" para divulgares a porcaria do teu Blogue? Vê se ganhas vergonha na cara, nunca vi coisa tão baixa, se queres divulgar o blogue esforça-te faz por isso, e não voltes a fazer merdas tão nojentas e baixas como esta.

Morre longe!

PS.:Bardamerda

ABA disse...

Caro Roberto Ivens,
Resisto à tentação de lhe chamar Corto Maltese, não por desconsideração pelo aventureiro que tinha um karma à espera dele de cada vez que aportava, mas por desconhecer se o karma que o anónimo tem consigo será uma questão de género.
Continue os relatos, pois aprecio a sua prosa. ;)

Caro anónimo,
que merda é essa do blogue do iluminado ser famoso? quer-me arranjar problemas com as revistas cor-de-rosa? ;)

Roberto Ivens disse...

Apenas porque o ABA se lhe referiu, quero aqui deixar, tipo livro de estilo, a justificação para a publicação deste comentário anónimo. Foi-o, como serão outros, por referir uma opinião sobre a actividade deste blogue. No caso, uma prévia circulação publicitária por outros blogues estabelecidos na praça. Difusão que terá tido o acordo para publicação dos respectivos bloggers e sem o qual este Anónimo não seria atingido.

Posto isto, adianto já que tais campanhas poderão prosseguir. E, obviamente, não será a opinião de um qualquer Bardamerda que me impedirá de o fazer.

francisco disse...

Obrigado por deixar um link no Amor e Ócio. Foi de passagem por lá que descobri estas narrativas ultramarinas. Gostei e vou voltar.