domingo, 4 de janeiro de 2009

Esquemáticos

CGD. Dois altos quadros reformados por invalidez estão na concorrência. Nos meus primeiros tempos de Angola, assisti a uma apresentação da realidade do país a um grupo de investidores estrangeiros feita por um consultor sul-africano há muito aqui estabelecido. Estranhei que, depois de referir que o velho edifício jurídico-administrativo era herdado da colonização portuguesa, afiançasse que a prática generalizada de esquemas para contornar a legalidade tinha igual apadrinhamento. Gravei isso como uma caluniosa injustiça, convicto da proverbial dor-de-corno sul-africana. Confesso que, de quando em quando, vou perdendo a fé.

4 comentários:

JúliaML disse...

e assim vamos perdendo a inocência...

Roberto Ivens disse...

Júlia,

Creio bem que inocentes serão os milhares de candidatos a reformados por invalidez que as vêem recusadas por juntas médicas....

JúliaML disse...

esses são as vitimas dos actos dos outros.

Roberto Ivens disse...

Júlia,

É-me insuportável esta lógica do fraco com os fortes e forte com os fracos...